quinta-feira, setembro 09, 2010

molestas 1.7

Vestiu-se sem ruídos,
Disse adeus ao espelho,
Correu para os braços de quem não devia;
Numa esquina que não é nada tranqüila,
Descarregar seus anseios.
Qualquer birita; cerveja, wiskey, tequila
Um cinzeiro limpo em dois segundos encardido
Cinzas, guimbas e marcas de batom
Expôs-se aos sem nomes
Teve apreço
Esquadrinhou a rua deserta e saiu
Trocando pernas Só sete pernas
Da esquina nada quieta
Ao bordel de cores discretas
Passou as chaves
Ressoou timbres metálicos
Como o gosto de chumbo depois de um sábado
Tentou lembrar o que fizera
A cabeça soava o gongo dos sádicos
Nada lembrara pois turvo estava
A desilusão acolerada o cegara.

Um comentário:

Rachel disse...

adorei